Instituições de Ensino Superior
UNIDAS no combate à violência contra mulher

MATERIAIS, CONVERSAS E EVENTOS ANTERIORES

Live - Peça Teatral Memórias Femininas

Peça Teatral
Memórias Femininas

Roda de Conversa (live - 11/03/21) com Ana Kacurin, Maria Elisabete e Hannah Albuquerque

Violência Obstétrica e Parto Respeitoso

Roda de Conversa (live - 10/03/21) com Profª Marlene Fernandes e Coletivos

Encontro dos Coletivos Estudantis Feministas

Roda de Conversa (live - 09/03/21) com Flávia Sanna e Prof. Rosali Krejci

Violência Contra a Mulher: Falar e Agir

Roda de Conversa (live - 08/03/21) com Profª Luciana Merçon, Profª Luciana Merçon e Profª Ana Maria Dinardi

A mulher, o mercado de trabalho e o princípio da igualdade

Palestra (live - 17/12/20) com a Dra. Cândida Cristina Magalhães

Violência contra as mulheres e o ápice do feminicídio

RJ1 TV Rio Sul - 17/12/2020

Instituições de ensino superior se unem no combate à violência contra mulher

Bate-papo Coletivo Femme + Professora Lorena Mochel (UNIFAA)

Precisamos falar sobre violência contra as mulheres

INFORME-SE:
CANAIS, CARTILHAS, LEIS E OUTRAS INFORMAÇÕES:

Denuncie: Ligue 180 - Central de Atendimento à Mulher 

Cartilha de Enfrentamento da Violência Doméstica e Familiar contra as Mulheres - ONU Mulheres

Lei Maria da Penha - LEI Nº 11.340, DE 7 DE AGOSTO DE 2006

Lei do Feminicídio - LEI Nº 13.104, DE 9 DE MARÇO DE 2015

Ciclo da Violência - Instituto Maria da Penha

Carta Aberta à sociedade

Valença/RJ, 02/12/2020

Não é fácil saber o que falar, ou fazer, em um momento de dor.
Mas de uma coisa temos certeza: precisamos falar e fazer agora.

Ecoa em cada um de nós a pergunta: até quando?

Até quando mulheres serão tratadas como posse?

Até quando elas terão seus direitos retirados?

Até quando as mulheres serão oprimidas, agredidas e assassinadas?

É preciso falar, agir...TRANSFORMAR!

Sempre acreditamos na Instituição de Ensino Superior como agente transformador.
E agora não seria diferente. A transformação nasce da informação, do debate, da ação.

Estamos de luto por Mayara, e também por ela queremos convidar a todos a colocar em pauta o feminicídio. Fortalecidos em rede, vamos levar a mais e mais pessoas a conscientização da sociedade que queremos?


Por um mundo mais justo, livre e igual para as mulheres. 

#pormayaraparamayara

Por um mundo mais justo, livre e igual para as mulheres.

Que nada nos limite. Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância.

Simone de Beauvoir